sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Os homens do século XXI estão diferentes...

Nos últimos anos tem-se notado a diferença na participação dos homens nas tarefas dométicas mas também a cuidar dos filhos, é verdade. Lavar a loiça, cozinhar, aspirar ou mudar fraldas deixou de ser uma tarefa exclusivamente feminina. É cada vez mais comum ver homens a participar activamente no dia a dia dos filhos e nos afazeres da casa. Aquilo que era dantes olhado com alguma estranheza; havia umas “raridades” que causavam a inveja de tantas e que, das duas uma: ou a sortuda tinha ali um "caso único" ou era um "caso de submissão"!

Em Portugal o Instituto Nacional de Estatística tem dados que confirmam essa evolução: os homens do século XXI estão diferentes, mais proactivos em casa e é muito bom que assim seja porque isso é, afinal, bem estar.
Claro, há sempre os resistentes, aqueles que não conseguem desformatar a antiga postura passiva de que em casa a fada do lar é e será sempre a mulher. Para muitos não é fácil a mudança de hábitos, quase como se houvesse um impedimento genético. É só psicológico. A partilha é saudável e faz maravilhas!

2 comentários:

  1. Já diz o provérbio "de pequenino se torce o pepino!" ... e por isso o meu Andrésito já aspira a casa, faz a comida e lava a loiça, a brincar claro, pois ainda vai fazer 4 anos! Mas julgo que estas brincadeiras educativas, aliadas ao exemplo do pai, também ativo nas lides domésticas, são a chave para a cimentar esta (BOA) diferença nos homens portugueses.

    ResponderEliminar
  2. A melhor maneira de começar com um comentário a este assunto é dizer que sei cozinhar, passar a ferro, lavar roupa, limpar a casa e ir às compras.

    Por ter ido estudar para Lisboa aos 18 anos aprendi a desenrascar-me sozinho nas tarefas domésticas. Depois de me licenciar, mudei de cidade, ainda mais para norte, e ao viver sozinho tenho de fazer tudo. Também tive uma boa professora de lides domésticas: a minha mãe, que percebe de tudo.

    Obviamente nem todos os homens sabem o que é tomar conta da casa. Uns têm empregada, outros são preguiçosos, outros são finos e não querem saber das lides domésticas.

    Obviamente que cuidar da casa dá trabalho, e cada vez menos pessoas, homens e mulheres, sabem fazer estas coisas, e nem querem saber.
    Eu acho essencial ter estas capacidades. Já fui elogiado várias vezes a dizer que quando me casar darei um bom marido (ou marido moderno como lhes chamam agora) LOL.

    Como ganhei a noção que as tarefas domésticas eram importantes ? Simplesmente via a minha mãe a esmerar-se a cuidar da casa e o meu pai a ajuda-la no que podia (principalmente limpezas).
    Ganhei a noção que tal era bastante importante. Desde há muito tempo que também comecei a ajudar na limpeza da casa ao sábado.
    Desde que vivo sozinho que tenho o hábito de limpar a casa ao sábado de manhã.

    Com o cozinhar é a mesma coisa, aprendi a fazer vários pratos, desde sopa a carne, peixe e mais recentemente sobremesas :)
    Ao mesmo tempo que escrevo estas linhas fiz os meus primeiros bolos... ao serem desenformados esmigalharam-se um bocado... era suposto esperar que eles arrefecessem... Para a próxima já sei.

    Acho muito importante sabermos cozinhar, porque não temos de cozinhar só para nós. É também para os outros. Adoro fazer comida aos meus pais quando eles me visitam, cozinho para os meus amigos, e no futuro quando constituir família, também quero cozinhar para eles. Dou muito valor às refeições em casa.

    Acho absurdo ir ao centro comercial à hora de jantar e ver lá famílias com filhos pequenos a comer. Que valores transmitem às crianças ? É o compra tudo feito ? Será que estão a comer comida saudável, feita com amor e carinho ? Acho que não...

    Concordo com o que dizem, que as tarefas domésticas é um ponto de união do casamento pois é algo que obriga à entre-ajuda do marido e da mulher. Afonso Real Cortês

    ResponderEliminar

No caso de não estar inscrito nos perfis sugeridos, utilize a sua conta do Google, ou o perfil "anónimo", no qual pode inserir a sua identificação e zona geográfica a que pertence. A equipa do projecto nacional "Trabalhar e Cuidar na Europa" agradece o seu contributo.